Um sábado qualquer...



Rodando por entre trilhas fechadas, repleta de obstáculos naturais, que à primeira vista afastam os navegantes.
Degraus de pedras que ligam o alerta: - Puta que pariu!!!!
Derrepente o chão firme da lugar a um ribeiro de pedras, cascalhos mesmo, onde o freio é apenas um acessório que não muito ajuda.
Algumas subidas que por breves momentos silenciam os incautos.
Em outros, descidas punk's que fazem olhos saltarem das órbitas e o sangue correr mais rápido pelo corpo dos afoitos!
Emoldurando tudo, o cerradão goiano, bombardeando nosso cérebro com toda sua exuberância e mistério.
Refrescados por águas tão puras, que mal acreditamos que ainda estamos na região metropolitana.
Nossas máquinas, idealizadas nos idos anos 70, do século passado, invadem um espaço assim, mágico, com todo respeito!
Ao final, retornando à realidade, celebramos a Baco pela amizade e por mais um sábado qualquer com o Bando do SERIEMA PEDAL!!





















2 Comentários para "Um sábado qualquer..."

Carlos disse...

Belo texto Nilsinho...Poético, valeu!!!

Carlão

Anônimo disse...

Tenho q voltar no tamanduá, ñ posso cometer um erro tão elementar pra cair daquele jeito...bora Nirsoooo!!!
Carlão (Agora Seriema) hahahaha